“Fazer banheirão”

Não podia faltar o Tedson. Pergunta: como é que se diz “ganhei dinheiro público pra chupar rola em banheiro público” em pós-modernês? “Procedi autoetnografia não-comercial ressignificando um espaço para desejos dissidentes”.

Calma Tedson, ninguém está aqui pra te oprimir com homofobia. Eu aprecio uma estrovenga suculenta. Mas a diferença é que eu faço isso em lugar limpo, com uma pessoa só com quem tenho relacionamento (o que, convenhamos, diminui a chance de DST’s, além de não ser coisa superficial e baixo-nível como “banheirão”). E não parasito o suado dinheiro dos impostos dos cidadãos brasileiros para isso.